Oficina de Costura Mata Grande 8

Reeducandas de Cáceres começam capacitação em corte e costura

A unidade prisional feminina de Cáceres (200 km a Oeste de Cuiabá) começou uma ação importante para a ressocialização das detentas, uma oficina de corte e costura que permitirá o desenvolvimento de uma atividade laboral, ao mesmo tempo que capacitará as mulheres reclusas.

O curso foi iniciado nesta semana para 20 reeducandas que estão aprendendo noções de corte e costura, e poderão, depois da capacitação, produzir os próprios uniformes.

Para a diretora da unidade feminina, Kélvia Almeida, o curso foi possível com a parceria do Conselho da Comunidade do município, que adquiriu tecido e linha, e com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, responsável pela capacitação das mulheres e pela cessão das máquinas.

Na cadeia feminina, 20 detentas também começaram a cursar o ensino fundamental, com professores da Escola Estadual Nova Chance. “Estamos em busca de atividades que possam dar uma chance de capacitação às detentas, assim como de educação e uma oportunidade de trabalho”, disse Kélvia.

Unidade masculina

Na cadeia masculina de Cáceres, o projeto “Oficina para a Liberdade” está capacitando na arte da costura 20 presos. Eles já fizeram peças do vestuário utilizado por todos os presos da unidade e, após o término do curso, passarão a confeccionar os uniformes da rede municipal de educação, numa parceria com a Prefeitura Municipal, que ficará responsável pela matéria-prima, reduzindo os custos para o poder público. O Senai é parceiro também nessa iniciativa,

A oficina de costura recebeu a visita do governador Pedro Taques em março deste ano, que destacou a organização do local e as atividades de ressocialização desenvolvidas.

O diretor da unidade masculina, Revetrio Francisco da Costa, destacou que a disciplina e as atividades laborais são fundamentais para garantir a organização do presídio.

A unidade possui hoje três salas de aula que funcionam em dois períodos. As disciplinas são ministradas por professores da Escola Estadual Nova Chance. Além da oficina “Costurando a Liberdade”, outros 106 reeducandos da unidade trabalham em atividades extramuros, sendo 40 deles na limpeza pública municipal.

Por: Raquel Teixeira | Sejudh-MT .

 

Deixe seu Comentario

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*