98910f7fa2a6a6235d9ca9e66429f119

Cuiabana sai para operar na Bolívia e volta em um caixão cheia de hematomas pelo corpo

A clínica responsável pelo procedimento cirúrgico não chegou de arcar nem com as despesas completa do translado do corpo

Uma trabalhadora doméstica identificada por Janeane Rodrigues da Silva Fidelis Klug Cresqui, foi mais uma vítima das tentadoras cirurgias de estéticas na Bolívia, que acabou em óbito.

A faxineira de 42 anos, morreu neste final de semana após realizar a cirurgia de lipoaspiração em Santa Cruz de la Sierra, combinada e esquematizada a quase dois meses na clinica Criolipolises Santa Cruz.

Segundo informações repassadas a reportagem, a vítima teria feito um empréstimo de R$ 10 mil e havia comunicado apenas ao marido, a irmã e uma sobrinha sobre sua decisão em operar, pois gostaria de fazer uma surpresa para os amigos e familiares.

A clínica responsável pelo procedimento cirúrgico não chegou de arcar nem com as despesas completa do translado do corpo, que ficou retido ainda na cidade San Matias, região de fronteira com a cidade brasileira Cáceres.

Ao tomar conhecimento dos fatos, familiares tiveram que arcar com a quantia de R$ 1.700 de serviços funerários para terminar o encaminhamento do corpo de Janeane até a capital de Mato Grosso, Cuiabá.

O descontentamento maior da família foi ao abrir o caixão de Jhane, nome por qual gostava de ser chamada pelos mais próximos, e se deparar com vários hematomas pelo corpo da vítima.

Uma certidão de óbito foi emitida e assinada pelo médico legista Oswald David, ainda em território boliviano informando que a causa da morte seria decorrente de um infarto cardíaco, provocado por um coágulo intravascular às 15h30 deste sábado (23).

Jhane, morava no bairro Parque Geórgia, região do Coxipó com o marido e dois filhos, de 9 e 6 anos.

Fonte: 24 Horas News.

Deixe seu Comentario

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*