amp-euclidespai

Candidato a prefeito de Mirassol D’Oeste é denunciado por fraudar licença médica

O candidato a prefeito de Mirassol D’Oeste, Euclides Paixão (PP), é suspeito de ter fraudado uma licença médica com a finalidade de viabilizar sua candidatura na eleição suplementar, que será realizada no município no próximo dia 19.

Euclides é professor na rede pública estadual e também vereador em Mirassol, recebendo salários tanto do Estado quando da Câmara Municipal. No início do mês de agosto, ele apresentou um atestado médico, de inaptidão para o trabalho como vereador e professor, válido por 60 dias, do dia 03 de agosto ao dia 03 de outubro.

No atestado, constava como causa para a licença médica uma doença diagnosticada com o código profissional médico de “CID Z 73.0”, que é a patologia conhecida como Síndrome de BURNOUT. A Síndrome de Burnout é uma doença psicossocial, caracterizado pelo esgotamento físico e mental intenso, que se desenvolve como resposta a pressões prolongadas que uma pessoa sofre a partir de fatores emocionais estressantes e interpessoais.

A doença é diagnostica quando o paciente apresenta sintomas como esgotamento físico e mental, falta de atenção e de concentração, lapsos de memória, irritação frequente e desinteresse pelo trabalho.

Acontece que, no período em que ficou afastado tanto da sala de aula quanto das atividades da Câmara, Euclides Paixão foi visto pela cidade de Mirassol participando de vários eventos e atividades, inclusive uma audiência pública promovida pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT), no município, no dia 27 de setembro. Paixão mesmo afastado de suas funções, recebeu os dois proventos, Estado e Câmara, normalmente, pois a licença médica permite.

O candidato do PP foi denunciado ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT), através do aplicativo Pardal, e ao Ministério Público (MP-MT). Na denúncia consta que, logo após o fim de sua licença médica, encerrada no dia 03 de outubro, em 08 de outubro ele conseguiu viabilizar sua candidatura a prefeitura de Mirassol. Segundo a denúncia, no período em que ele permaneceu afastado das funções, Paixão estava em pré-campanha.

Na denúncia consta que “ocorre que durante o período em que estava de atestado médico, o vereador atuou diuturnamente na política local na intenção de ser candidato a prefeito, tendo inclusive participado de programa na Rádio Continental FM como pré-candidato a prefeito, além de participar de varias reuniões na prefeitura do município e, claro, fazendo articulações políticas por toda a cidade”.

Atualmente, apenas um mês depois de acabar sua licença médica, Euclides paixão voltou as suas atividades como professor e vereador, e ainda atua como candidato “e está realizando campanha eleitoral de forma intensa não aparentando nenhum sintoma da doença a qual estava de atestado médico, tais como: esgotamento físico e mental, falta de atenção e de concentração, lapsos de memória, irritação frequente e desinteresse pelo trabalho”, concluía a denúncia.

ELEIÇÕES SUPLEMENTARES

As eleições suplementares em Mirassol D’Oeste serão realizadas no dia 19 de novembro. Quatro candidatos estão na disputa: Euclides Paixão (PP) e seu vice Fransuelo Ferrai (PSC); Edvaldo Paiva (PSD) que terá como vice Irineu da Farmácia (PSD); em chapa pura, o DEM lançou André Gimenez e o ex-vereador Laércio do Postão; a última candidatura é encabeçada por Juvenal Caetano (PRB) e o candidato a vice é Gelson Miranda (PT).

O novo pleito foi convocado pelo TRE-MT em razão do indeferimento da candidatura de Elias Leal (PSD), que foi o mais votado na última eleição com 7.830 votos. Atualmente, o município é administrado pela prefeita interina Marinez Campos do PTB.

Deixe seu Comentario

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*