Alunos do IFMT Pontes e Lacerda são finalistas

Alunos do IFMT-Pontes e Lacerda são finalistas na Feira Brasileira de Ciências e Engenharia

Alunos do Instituto Federal de Mato Grosso Campus Pontes e Lacerda – Fronteira Oeste são finalistas na Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), que acontecerá em março de 2018, na Universidade de São Paulo (USP), na capital Paulista. João Vitor Vieira Flauzino, Luana Ribeiro Duarte Soares e Mariana Silva do Bom Despacho, do segundo ano do curso técnico em Administração, integrado ao Ensino Médio, tiveram a pesquisa Entre o ser, o fazer e o poder: novos olhares da fronteira e suas narrativas históricas, aprovada, na categoria Ciências Humanas, sub-categoria História. O trabalho será apresentado durante a Mostra.

Na pesquisa, os alunos aglutinaram informações sobre história e geografia da fronteira oeste para desmistificar estereótipos negativos que existem sobre a imagem do ser e do viver da fronteira. “Participar da Febrace sempre foi um sonho para nós e através de um esforço coletivo vamos participar. Somos finalistas com um projeto que diz respeito à nossa localidade, que vai dizer respeito quanto a nossa forma de ser, como o desenvolvimento da própria região. É um vínculo que criamos com nosso próprio lugar através da história”, afirmou João.

João ainda destacou perdulariedades do trabalho. “Vamos falar das relações de poder e saber e relacionar isso com nossas formas de ser, só que trazendo para realidade da fronteira oeste. Nosso próprio Campus chama-se Fronteira Oeste. Ao longo do tempo vamos ver de que forma a fronteira veio sendo tratada pelos diversos meios de comunicação e tudo isso vai construir um discurso, uma narrativa histórica à respeito da nossa própria região. E essa narrativa, essas formas como os outros nos enxergam e como nos vemos também, vão construir nosso próprio jeito de ser e desenvolver nosso próprio lugar. Vamos relacionar com o passado para entender essas inquietações presentes”.

Segundo Mariana, “o principal objetivo para nós não foi a construção de um pensamento, mas a desconstrução de um pensamento já histórico que temos da fronteira com marginal, algo ilícito. É uma imagem que temos hoje e vem sendo há muito tempo pregada, e isso está mudando nosso jeito de pensar. A questão é tentar mudar esse pensamento e apoiar o quanto a fronteira oeste é rica culturalmente e desmistificar essa parte da coisa ilícita, que temos”.

Os alunos receberam orientação da professora mestre Manuela Arruda dos Santos Nunes da Silva e tiveram como coorientador o professor mestre  Leonam Lauro da Silva . “Ficamos muitos felizes com esse trabalho, porque faz com que os estudantes tenham contato com a pesquisa desde o ensino médio. Eles fizeram uma pesquisa de trabalhos acadêmicos, ouviram, fizeram pesquisas de campo e tem objetivo também de integrarem os saberes, porque a ideia étambém envolver outras escolas do município, da rede estadual, fazer integração com os alunos do Campus, que são de Vila Bela da Santíssima Trindade, para que possamos fazer uma construção significativa e dar um novo significado a esse espaço fronteiriço”, declarou Manuela.

Manuela ainda destacou o compromisso do IFMT com o ensino. “A próxima etapa é se preparar para a final na USP. Consideramos que a própria viagem é uma oportunidade para esses alunos alargarem o conhecimento e para nós o prêmio mais importante é a construção do conhecimento. O que vier a partir daí é lucro. Mais uma vez o Instituto Federal reafirma o seu papel como formador aqui na fronteira oeste, fomentando a pesquisa, ensino e extensão”, finalizou.

A Febrace é reconhecida como a maior feira de ciências do Brasil para estudantes do ensino básico e acontece desde 2003. Há premiações para os finalistas, além da possibilidade de participação em feiras internacionais, como a Feira Internacional de Ciências e Engenharia (Intel ISEF).

Por: Weverton Correa | Assessoria de Comunicação.

Deixe seu Comentario

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*